300 x 250 Ad Space

10 fevereiro 2010

Empresas Móveis

Prédios, salas, barracões, galerias e shoppings sempre foram os endereços mais comuns das empresas.


Ter uma mesa com computador, linha telefônica, internet, aparelho de fax, mobília e decoração era exigência básica para a existência da empresa e conseqüentemente uma barreira para quem queria empreender, pois o custo de implantação era elevado, sem contar as despesas com serviços públicos, aluguel, IPTU e muitos outros gastos de manutenção.

É caro abrir uma empresa e mantê-la, e segundo dados do SEBRAE de 2009 33,42% das empresas não sobrevivem ao primeiro ano, e 50% das que sobrevivem fecham suas portas em até os 2 anos, para pequenas e micro empresas esse número cai para apenas 13%.


Com esses dados estatísticos, fica ainda menor o número de pessoas com coragem para empreender e criar uma nova empresa. Junto com essas desistências existe uma menor variedade de empresas e produtos no mercado, favorecendo a formação de monopólios, que muitas vezes exploram seus clientes finais, já que ditam as regras.

O problema não pára por aí. Com menos empresas atuantes no mercado o número de desemprego sobre, junto com o índice de criminalidade, acarretando em problemas sociais.

O impacto de uma economia deficitária atinge primeiramente os menos favorecidos, e esse quadro pode ser mudado uma vez que o país comece a empreender mais e a oferecer mais oportunidades para a população.

Dinheiro para criação de novas empresas existe, aos montes por sinal, a exemplo disso temos o BNDES, que realiza financiamentos com taxa de juros reduzida para a implantação de novas empresas mediante um Plano de Negócios.

Se o dinheiro existe porque muita gente não o utiliza? Por medo de falhar. Quando uma nova empresa é criada ela tem 50% de chances de falhar e 50% de chances de dar certo, isso é geralmente definido pela gestão da empresa ou fatores macroambientais.

Se o fracasso vier, o empreendedor ficará com uma divida, que vai ser ditada pela quantidade de escombros que a empresa deixou ao desmoronar. Pequenas empresas obviamente deixam menos dividas que as médias e grandes empresas.

Para reduzir o medo dos futuros empreendedores lhes apresento uma oportunidade de baixo custo de investimento, e se o fracasso for certo a divida será menor, bem menor, isso se existir.

A solução é simples: Criar uma empresa móvel. Não, você não leu errado, é uma empresa ambulante.


O conceito consiste em levar sua empresa até o cliente, trazendo consigo todos os equipamentos necessários para realização desse trabalho, utilizando preceitos da Tecnologia Móvel como apoio.

Se pararmos pra pensar essa idéia é bem antiga, perguntem aos seus avós se eles se lembram do pessoal que saía vendendo produtos de utilidades domésticas em uma carroça.

As modalidades de negócio que mais se encaixa nesse perfil de empresa, são os prestadores de serviços, como dentistas com atendimento domiciliar, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, esteticistas, consultores, publicitários, arquitetos, engenheiros, e muitos outros.


Mas onde seria a sede da empresa? Como sede física o escritório da sua casa. E como sede para atendimento? Onde seu cliente estiver.

Você pode ter um escritório móvel no seu carro, contendo tudo o que for necessário para execução do seu trabalho.

Vamos detalhar um pouco os equipamentos que você pode utilizar.

Notebooks ou netbooks, são boas ferramentas de trabalho, pois permitem ser transportados, mas sua bateria não agüenta muitas horas fora da tomada e você provavelmente ficaria sem seu equipamento até o final do dia. Qual a solução? Um Smartphone.

Um bom Smartphone, ou melhor dizendo, um Smartphone com uma boa bateria é a solução para muitos profissionais, já que a bateria pode agüentar um dia inteiro de trabalho na maioria dos casos.

Smartphones são telefones inteligentes, como o nome diz, e o que os difere de aparelhos celulares comuns são as possibilidades de personalizar o aparelho instalando aplicativos de acordo com seu uso.


O catálogo de aplicativos para as plataformas móveis cresce dia a dia, atendendo bem as necessidades da maioria dos profissionais.

Com um Smartphone você reúne telefone, internet e funções de um computador em um equipamento compacto, leve e funcional.

Para profissionais que precisam de conforto ao escrever textos longos, além de aparelhos com teclados QWERT completo (que possuem uma tecla por letra, iniciando pelas teclas Q W E R T, como no computador), pode-se utilizar um Smartphone com teclado alfanumérico usando como acessório um teclado externo que se conecta ao aparelho pela Tecnologia Bluetooth, como esse que eu tenho.


A internet pode ser habilitada no aparelho utilizando um plano de dados, realizado junto à operadora celular. Nas áreas com cobertura 3G as velocidades são rápidas, porém nas outras áreas a velocidade pode ser mais lenta, se assemelhando a uma conexão discada. Embora isso possa parecer um problema, acaba não sendo devido ao tipo de utilização dessa conexão que será para verificar e-mails e acessar alguns conteúdos.

Os aparelhos podem ser encontrados por preços bastante acessíveis se forem adquiridos atrelados a um plano da operadora celular.

Para impressão de arquivos, necessários quando se presta serviços, existem impressoras que se conectam ao celular por Bluetooth ou tem capacidade para ler cartões de memória, ambas estão dispostas em modelos com alimentação via energia elétrica ou bateria, mas não se iluda, em linhas gerais essas impressoras costumam ser caras.


Materiais de apoio e divulgação podem ser transportados em uma bolsa ou pasta junto com seus equipamentos móveis.

Na hora do pagamento via cartão, também não será problema, existem terminais para cartão que utilizam a rede celular para realizar transferências, ou você pode utilizar um terminal comum e plugar na energia elétrica e linha telefônica do seu cliente.


Tudo isso somado a um carro para permitir agilidade de acesso, torna você um empresário móvel de prestação de serviços, sem necessariamente de investir em um prédio, ao menos inicialmente.

Dependendo do seu caso, a locomoção também pode ser feita utilizando transporte coletivo, mas acredito que na maioria das vezes isso seja um fator limitador, já que se perde muito tempo nesse tipo de transporte.

Seu Smartphone também pode ajudar no “senso de localização” se tiver função GPS embutida, ou você pode utilizar um equipamento próprio para esse fim. Com GPS chega de ficar pedindo informações nas ruas, onde muitas vezes pode oferecer riscos ao condutor por ter que parar em áreas desconhecidas, informando os mal intencionados que você está perdido.


É importante que o profissional móvel possua um escritório de apoio residencial, mas deve informar ao seu cliente que sua sede física é doméstica e que seu atendimento é móvel, uma vez que cachorros latindo ao fundo e crianças chorando podem indicar amadorismo, caso seus clientes não entendam seu conceito empresarial.

A tendência é que nos próximos anos muitas pessoas trabalhem em suas casas, indo até uma empresa ou cliente somente quando for necessário, como relatei anteriormente esse novo perfil de profissional possui menos gastos fixos mensais e pode ter uma vida mais flexível e produtiva. Seja um profissional móvel e bons negócios.

1 comentários:

Cristão CCB disse...

Muito boa esta postagem.

Realmente abrir um negócio não é facil. E há preocupações com o investimento em móveis, ainda mais, se a grana é curta, e os móveis não possuem tanta utilidade, mas são necessários para dar um ar de profissionalismo.

Uma alternativa são as empresas móveis, como citado, e também as lojas virtuais. Com um site bem elaborado uma empresa não tem tamanho e nem fronteiras (Correios).